top of page
  • Foto do escritorSem Etiqueta

Tá faltando camiseta?

Uma ideia só é criativa quando está a serviço da resolução de algum problema, assim como um negócio, um empreendimento. Quando há alguma demanda ou necessidade. Então veja, quando alguém cria uma marca de camisetas, ela parte do pressuposto que está faltando camiseta? Está faltando camiseta no mercado? A região que você mora carece de camiseta?

Provavelmente, não.


Mas camisetas que empoderam a sua luta contra os preconceitos? Que reafirmam a sua sensação de pertencimento? Que ressaltam o seu estilo de vida?

É aí que a gente começa a entender a tal demanda do mercado.

E é aí também onde eu percebi que nós poderíamos sair na frente da maioria, por um motivo um tanto quanto curioso:


Eu sou turismólogo de formação, e a primeira coisa que você precisa aprender para vender um destino turístico é que ele é intangível.


Não é possível tocar, cheirar ou experimentar um lugar antes de visitá-lo, o que torna a tarefa de persuadir alguém a escolher um destino em particular um grande desafio.


A primeira estratégia que muitas empresas de turismo adotam é mostrar fotos do destino em questão. No entanto, mesmo as melhores fotos podem não ser suficientes para convencer alguém a escolher um lugar em detrimento de outro lugar. Boas fotos ajudam, vídeos ajudam, mas acaba que fotos e vídeos são extremamente parecidos entre um destino e outro. Além do mais, uma foto de uma praia pode ser incrivelmente bela, mas ela não oferece nenhuma informação sobre o clima, as pessoas, a cultura ou as atividades que o visitante pode esperar encontrar lá.


Portanto, as empresas de turismo precisam falar sobre os sentimentos que o destino pode evocar. Elas precisam mostrar como o turista se sentirá ao visitar aquele lugar, as experiências únicas que ele pode ter, as sensações que ele experenciará e as pessoas que ele pode conhecer. Elas precisam mostrar como a experiência de visitar o destino pode enriquecê-lo culturalmente.


Em outras palavras, as empresas de turismo precisam se concentrar em vender experiências, não apenas destinos. Eles precisam oferecer aos turistas um roteiro personalizado que inclua uma ampla variedade de experiências sensoriais, desde a gastronomia local, as atividades ao ar livre, os costumes, até a história e a cultura do lugar.


Dessa forma, as melhores estratégias na hora de se vender um destino turístico é contar histórias, criar narrativas envolventes que levem o turista a se imaginar no destino, sentir o destino.


Percebe agora porque na Sem Etiqueta nossos vendedores são proibidos de vender apenas camisetas?


Porque vender a camiseta pela camiseta, o vendedor vai usar os mesmos argumentos que a loja da frente, que são de excelente qualidade também. Tecido 100% algodão, fio 30, malha penteada, passa por um processo de amaciamento, perfeito caimento, blá blá blá. O cliente leva a peça ao provador para experimentar e confirma todo esse conforto, então tomará a sua decisão com base no preço, ou quando muito, no quanto foi bem atendido, pois provavelmente te vestiu o corpo tal qual a camiseta que experimentou na loja ao lado.


Mas se ele levá-la ao provador sabendo o quanto vai se sentir mais empoderado regionalmente, mais culto, vai se sentir mais natalense, mais nordestino, mais brasileiro, mais progressista, sabendo que ao usá-la vai estar defendendo as mulheres, os negros, os lgbts, a democracia... Para isso é preciso contar histórias, vivenciar narrativas, criar relacionamento. Isso, meus amigos, é sentimento, e isso não se toca, não se cheira, não se experimenta, isso se vive. Isso é a Sem Etiqueta.


Raoni Fernandes Turismólogo Fundador da Sem Etiqueta

64 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page