top of page
  • Nadjara Sotta

O Coração do ocidente

Atualizado: 13 de out. de 2023

Desde os tempos da invasão dos europeus no Brasil, uma questão intrigante ocupava a mente dos viajantes: qual é a forma do caju? Quando chegaram ao Brasil, a primeira visão que tiveram foi a infinita extensão de cajueiros sob o calor radiante do sol tropical. Naturalmente, eles buscaram refúgio sob a sombra generosa dessas árvores e começaram a observar atentamente a forma do caju. Foi sob essa sombrinha deliciosa que começaram a imaginar as mais variadas comparações.


Era um enigma que gerava diversas opiniões e comparações curiosas. Para o padre Simão de Vasconcelos, o caju se assemelhava a rins de lebre, enquanto o padre Anchieta e Pero Gandavo concordavam que ele lembrava pêros repinaldos (seja lá o que isso for, rsrs).








trecho de tratado da terra brasil - Livro por Pero de Magalhães Gandavo


A verdade é que muitos se aventuraram a descrever essa fruta única, e não é difícil entender por quê. No entanto, a melhor definição da forma do caju veio dos botânicos, que batizaram a árvore com o nome científico "Anacardium occidentale". Cardium=coração, como um coração ocidentale. Em outras palavras, o caju é “o coração do ocidente". E essa comparação faz todo o sentido.


As principais espécies de cajueiros incluem o Anacardium giganteum (cajuí, caju-da-mata, cajuaçu), o Anacardium humile (caju-anão, caju-do-cerrado), o Anacardium occidentale (caju-comum, caju, acaju, caju-da-casa) e o Anacardium microcarpum (caju-do-campo, cajuaçu). É importante destacar o nome "Cajuaçu", que é sinônimo de caju-gigante. Essas espécies de cajueiros são diversas e desempenham papéis únicos em diferentes ecossistemas do Brasil, contribuindo para a biodiversidade do país. Além disso, algumas delas serviram de inspiração para a coleção da marca "Sem Etiqueta", que carrega o nome "Noda de Caju Não Sai". Essa conexão entre a moda e a natureza ressalta a importância cultural e simbólica do caju na nossa sociedade.


Portanto, da próxima vez que você se deliciar com um suco de caju ou saborear um pedaço dessa fruta suculenta, ou fizer uma saborosa receita, lembre-se de que está desfrutando de uma parte essencial do coração do Brasil, representada por uma variedade de espécies que contribuem para a riqueza da nossa flora e cultura. O caju é mais do que apenas uma fruta; é um símbolo de nossa rica herança e da generosidade da natureza que nos rodeia. É sobre o que há de mais sagrado para um povo: a sua literatura, a sua cultura e a sua história. É como um dito popular dos nossos antepassados que carrega poder por todas as gerações: NODA DE CAJU NÃO SAI


Texto por Nadjara Sotta


63 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page